quinta-feira, 4 de maio de 2017

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA VAI REALIZAR MUTIRÕES PARA ACELERAR DEMARCAÇÃO DE TERRAS DOS GAMELAS. DEPUTADO TERIA INCITADO VIOLÊNCIA CONTRA ÍNDIOS

Atendendo reivindicação do governador Flávio Dino (PCdoB), o Ministério da Justiça comunicou que promoverá mutirões para dar maior celeridade ao processo de demarcação de terras indígenas no povoado Baías, localizado no município de Viana, onde, no último domingo (30), um grupo de homens munidos de facões e armas de fogo atacaram e feriram pelo menos 13 indígenas da etnia Gamela.

Em agosto de 2016, o governo do Maranhão solicitou à Fundação Nacional do Índio (Funai) formação de um grupo de trabalho para identificação, delimitação e demarcação do território dos índios. Na época, a Funai alegou falta de recursos para a execução do mapeamento. Logo após os atentados, Flávio Dino falou sobre o caso, sinalizando ao governo Federal que o Estado do Maranhão poderia arcar com os estudos para garantir a paz na região, ainda que, conforme prevê a Constituição Federal, o mapeamento de territórios indígenas é de responsabilidade do governo brasileiro.

“Se a Funai não tem dinheiro para realizar estudos necessários à paz na região de Viana, o governo do Estado se dispõe a pagar”, declarou Flávio Dino via Twitter.

No ofício do Ministério da Justiça encaminhado ao governador, além de garantir a realização dos mutirões, o ministro Osmar José Serraglio, a anunciou que desde o dia 1º de maio três equipes da Polícia Federal e membros da Coordenação Regional da Funai em Imperatriz foram encaminhadas para o local do conflito para garantir a segurança e prestar plena assistência aos indígenas feridos.

Boletim médico

Segundo a última atualização sobre o caso, com boletins médicos postados pelo próprio Flávio Dino em redes sociais, apenas três gamelas permaneciam internados e todos apresentam melhoras em seus quadros clínicos.

De acordo com os números oficiais do atentado divulgados pelo governo do Maranhão, foram cinco índios feridos e dois deles com fraturas expostas nos membros superiores devido à gravidade das agressões – mas nenhum com a mão decepada, como inicialmente foi noticiado.

Parlamentar teria incitado violência contra os gamelas

O governador lembrou ainda que prosseguem as investigações policiais para apurar o caso e punir os responsáveis.

O deputado federal Aluísio Mendes (PTN) esteve reunido com fazendeiros da região antes dos eventos criminosos contra os gamelas, e no mesmo dia concedeu entrevista a uma rádio local onde teria incitado a violência contra o grupo, que ele chamou de “pseudoíndigenas”.

Antes de ser parlamentar, Aluísio foi assessor presidencial de José Sarney e secretário de Segurança no último governo Roseana.

Blog do Jorge Vieira