domingo, 23 de abril de 2017

Roberto Rocha: o inimigo íntimo

Leandro Miranda/Marrapá - O senador Roberto Rocha (PSB) não se cansa de criar polêmica. Sempre disposto a atacar o governador Flávio Dino, sem motivo aparente, mais uma vez ele demonstra a faceta de abutre como é praxe em sua carreira política.

“Asa de avião” não tem voto, mas é um grande oportunista. Foi assim que conquistou todos os mandatos políticos, achacando os aliados.

Primeiro foi Jackson Lago. O ‘velhinho’ sofreu com as chantagens de RR. Em posse do PSDB, fazia exigências absurdas ao pedetista. Não por acaso, Roberto não pisa no PDT. Um bom exemplo ocorreu em 2010, quando ele exigiu a vaga de senador na chapa ao lado de Vidigal. Durante a campanha eleitoral, acompanhava o ex-governador, mas também fazia eventos e “esquecia” de chamar Jackson.

Em 2012, com Jackson falecido, Roberto precisa de um novo alvo para sugar as energias. O escolhido foi o prefeito Edivaldo Holanda Júnior. No PSB, RR exigiu a vaga de vice pra ele mesmo. Conseguiu o mandato para em seguida formar governo paralelo, atuando como um inimigo íntimo.

Dois anos depois, sua vítima passou a ser o candidato ao governo, Flávio Dino. A vaga de senador na chapa comunista estava prometida a Zé Reinaldo, mas Roberto manipulou o PSB via Eduardo Campos. Naquele ano, só faltou RR segurar na mão de Dino, porque andava com ele grudado pra cima e pra baixo, até ser eleito. Mandato assegurado, oito anos confirmados, foi então o momento de dar o pé na bunda de Flávio, tal como fez com Jackson e Edivaldo.

A nova vítima do senador é o grupo Sarney, assim que sugar tudo o que pode, aproveitar toda a mídia da oligarquia fará como faz com todos. Assim sempre será porque esta é sua índole.