sexta-feira, 14 de abril de 2017

O estrago foi feito



A blogosfera do Maranhão anda em polvorosa nas últimas horas. De um lado os blogueiros alinhados do Governo Flávio Dino antecipando a prisão do ex-presidente Lula e defendendo com unhas e dentes a honradez do governador no caso da delação da Odebrecht e do lado da oligarquia Sarney a outra parte da blogosfera maranhense tentando desconstruir as manifestações de apoio e a fala do Sr Dino diante do episódio da citação do nome do mandatário do Estado em falcatruas na Lava-Jato. 

Até aqui nada de anormal neste ataque e defesa entre blogueiros oficiais e oficiosos se não fosse a paixão de ambos os lados e o jogo de interesse eleitoral  dos dois grupos políticos que hoje dominam a política do Maranhão com o olhar frenético visando 2018.

Sem adentrar no mérito das questões postas na blogosfera maranhense sobre a participação ou não de políticos do Maranhão na operação Lava-Jato e nas últimas delações dos executivos da empreiteira Odebrecht  o que se percebe é que o clima sobre a atividade política do Estado não é tão diferente do restante do país diante deste ataque e defesa veiculados pelos blogues oficiais e oficiosos, diga-se de passagem. 

O que a blogosfera maranhense não percebeu, ainda, e que deveria colocar como pauta recorrente, é o estrago feito pelas delações de quem está sob a tutela da polícia e quer se livrar a qualquer custo da prisão, a outra coisa é a possibilidade sempre crescente das denúncias vazias fazerem parte do contexto nebuloso da vida partidária brasileira nas últimas horas, levando o país novamente para a ditadura com perda de todas as liberdades possíveis.

É preciso, nesta hora, uma certa moderação no trato das denúncias, das delações de onde vierem pela blogosfera do Maranhão sob pena desta mídia social não perceber a gravidade da situação política brasileira e de todos os riscos advindos dela. No Maranhão há um estrago feito na atividade política partidária por conta das paixões exacerbadas nos blogues oficiais e oficiosos e  que tem respingado negativamente na maioria da população.