sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

TEMER NÃO É CONFIÁVEL PARA 72%, DIZ CNI/IBOPE

















Pesquisa Ibope, encomendada pela CNI, aponta que passou de 39% para 46% o percentual de brasileiros que consideram o governo Michel Temer ruim ou péssimo; aprovação ao modo de governar de Temer é reprovada por 64% da população, segundo a pesquisa realizada em novembro; em outubro, o percentual era de 55%; 72% dos brasileiros disseram ainda não confiar em Michel Temer, que também viu sua avaliação negativa crescer nove pontos, para 69%; agravamento da crise econômica e política, além das sucessivas denúncias de corrupção, derrubam a tese de que o impeachment de Dilma Rousseff tinha como objetivo salvar o Brasil; Michel Temer está por um fio

247 - Pesquisa Ibope, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta sexta-feira, 16, aponta que passou de 39% para 46% o percentual de brasileiros que consideram o governo Michel Temer ruim ou péssimo. Ainda segundo o levantamento, o índice dos que aprovam a gestão do peemedebista, que em outubro era de 14%, caiu para 13% em novembro.

Segundo os dados, 64% da população reprovam o modo de governar de Michel Temer, segundo a pesquisa realizada em novembro. Em outubro, o percentual era de 55%. 72% dos brasileiros disseram ainda não confiar em Michel Temer (contra 68% em outubro). O presidente também viu sua avaliação negativa subir nove pontos, para 69%. 

Pesquisa CNI/Ibope foi realizada entre os dias 1 e 4 de dezembro e ouviu 2.002 pessoas em 143 municípios brasileiros. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa foi realizada antes de vir à tona a delação premiada do ex-vice-presidente da empreiteira Odebrecht Cláudio Melo Filho, que diz ter acertado o repasse de R$ 10 milhões para o PMDB, em uma reunião que teria contado com a presença de Temer, no Palácio do Jaburu, em Brasília. Os recursos teriam sido utilizados na campanha eleitoral ed 2010.

A denúncia do ex-executivo da Odebrecht levou o assessor especial e amigo pessoal de Michel temer, José Yunes, a pedir demissão do cargo. Ele foi o sétimo membro do núcleo do governo a deixar o cargo por denúncias de corrupção.

Clique aqui e leia a pesquisa na íntegra.