domingo, 27 de novembro de 2016

MARANHÃO TEM REDUÇÃO NO NÚMERO DE DESEMPREGADOS


Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que o desemprego diminuiu no Maranhão em outubro na comparação com setembro; de acordo com os dados foram desativados no estado 410 postos de trabalho contra 1.598 em setembro; indústria de Transformação foi o setor que mais contribuiu para o saldo negativo, enquanto a Agropecuária teve o melhor saldo positivo.

Por Maranhão Hoje - Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira (24) pelo Ministério do Trabalho e Previdência mostram que o desemprego diminuiu no Maranhão em outubro na comparação com setembro.

De acordo com os dados do Caged, foram desativados mês passado no estado 410 postos de trabalho contra 1.598 em setembro. Indústria de Transformação foi o setor que mais contribuiu para o saldo negativo, pois foram fechados 1.442 empregos, enquanto a Agropecuária teve o melhor saldo positivo, com 533 empregos preservados.

Com o desempenho de outubro, o acumulado de desemprego no ano, que em setembro era de 12.149, caiu para 10.752, enquanto nos 12 meses, isto é, de outubro de 2015 a outubro deste ano, passou para 20.731.

De acordo com a estatística, no mês de outubro foram admitidas 10.888 pessoas no Maranhão e as demissões somaram 11.298, gerando o saldo de -410. De janeiro a outubro, as admissões somaram 129.666, contudo 140.418 trabalhadores foram desligados de seus empregos, gerando uma massa de 10.752 desempregados. Já nos últimos 12 meses foram 153.354 admissões contra 174.085 demissões, ou seja, saldo de -20.731.

Veja o desempenho por setor no mês de outubro:

Extrativa Mineral: 07 
Indústria de Transformação: -1.442 
Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP): -1 
Construção Civil: -293 
Comércio: 449 
Serviços: 331 
Administração Pública: 06 
Agropecuária: 533 
Total: -410

No Brasil, a perda de empregos foi de 74.748 vagas abaixo da registrada em outubro de 2015, quando houve fechamento de 169.131 vagas. No acumulado do ano, o Caged contabiliza 751.816 postos a menos. Nos últimos 12 meses, o país acumula 1,5 milhão de postos de trabalho suprimidos.

Os setores que tiveram as maiores perdas de vagas formais foram construção civil (-33.517 postos), serviços (-30.316 postos) e agricultura (-12.508 postos). Apenas o setor do comércio apresentou saldo positivo no mês passado, com criação de 12.946 postos de trabalho. A indústria da transformação, que havia apresentado saldo positivo em agosto e setembro, fechou 5.562 vagas em outubro.

As perdas mais significativas de vagas foram registradas em São Paulo (-21.995 postos) e no Rio de Janeiro (-20.563). As unidades da Federação que mais geraram empregos foram Alagoas (5.832), Rio Grande do Sul (2.386), Sergipe (1.932 postos) e Santa Catarina (1.267 vagas).

Divulgado desde 1992, o Caged apura o estoque de vagas formais de emprego no país calculando a diferença entre contratações e demissões. Os dados são levantados com base em declarações enviadas pelos empregadores ao Ministério do Trabalho.